Início esporte Uruguai: futebol, mate e paixão pela igualdade

Uruguai: futebol, mate e paixão pela igualdade

0 Uruguai, que celebrará eleições presidenciais em 27 de outubro, é reconhecido pela solidez de sua democracia, pelos craques de futebol e por sua bebida típica, o mate. Esses são alguns dados desse país vizinho ao Brasil.

– Pioneiro em direitos –

Com uma população de 3,4 milhões de pessoas, o Uruguai é o pioneiro na América Latina em matéria de direitos humanos e sociais.

Aboliu a pena de morte em 1907, estabeleceu a jornada de trabalho de oito horas em 1915 e aprovou o voto feminino em 1927. A Igreja está separada do Estado desde 1912, sob a presidência de José Batlle y Ordoñez (Partido Colorado, liberal), artífice de um dos primeiros experimentos de social-democracia na escala de um país no mundo. No Uruguai, somente 47% da população se declara católica.

Em 2006, no governo da Frente Ampla (esquerda) se tornou o primeiro país da América Latina e o quinto no mundo a proibir fumar em espaços públicos.

O aborto é legalizado em qualquer condição desde 2012. Já havia sido entre 1934 e 1935.

Em 2013, o Uruguai aprovou o matrimônio igualitário que habilita a união civil entre pessoas do mesmo sexo. No mesmo ano, legalizou a produção de maconha para fins recreativos mediante vários mecanismos, um deles a venda nas farmácias de cannabis produzido pela iniciativa privada sob o controle do Estado.

– Independência, ditaduras e guerrilhas –

O Uruguai se declarou independente em 1825 e recebeu depois diferentes correntes migratórias da Europa, principalmente espanholas, italianas e francesas.

Durante o século XX, golpes de Estado em 1933 e 1973 marcaram interrupções à sua tradição democrática.

Os uruguaios veneram seu sistema político igualitário, que recuperaram em 1985 depois de uma violenta ditadura. Os partidos que dominaram a política até o final do século XX foram o Colorado e o Blanco (Partido Nacional, liberal nacionalista). Em 2004 a Frente Ampla – fundada em 1971 – ganhou as eleições e Tabaré Vázquez, atual presidente, teve seu primeiro mandato a partir de 2005. Depois foi a vez de José Mujica, ex-guerrilheiro tupamaro.

O ex-prefeito da frenteamplista de Montevidéu, Daniel Martínez, de 62 anos, e o ex-senador Luis Lacalle Pou, de 46 anos, do Partido Nacional, são favoritos para passar a um segundo turno em novembro.

– Economia estável –

O Uruguai teve um crescimento médio de 4,1% entre 2003 e 2018. Atualmente atravessa um período de estagnação, com desemprego alto (9%) e um déficit persistente das finanças públicas equivalente a 4,8% do PIB.

A pobreza é baixa comparada com outros países da região, e ficou em 8% em 2018.

O Uruguai é um país agroexportador, onde a produção de celulose em grandes indústria ganha espaço sobre os setores tradicionais como a produção de carne.

China, Brasil, União Europeia e Estados Unidos são seus principais mercados de exportações.

O turismo é o principal serviço exportado, sobretudo com a chegada de visitantes da Argentina.

Integra o Mercosul junto com Argentina, Brasil e Paraguai, desde 1991.

– Aumento da violência –

Considerado durante muito tempo um reduto de paz, Uruguai e registrado um importante aumento da criminalidade e ocupou neste ano as páginas dos jornais internacionais como país de trânsito de importantes carregamentos de cocaína apreendidos ao chegar na Europa.

A taxa de homicídios passou de 5,7 por cada 100.000 habitantes em 2005 a 11,2 por cada 100.000 em 2018, segundo o site de análise independente InSight Crime.

Em 2018, a cifra de homicídios ficou em 414 e houve um crescimento explosivo de 45% sobre 2017.

– Futebol e letras –

O Uruguai é conhecido por suas estrelas de futebol como Luis Suárez, do Barcelona, e Edinson Cavani, do PSG francês.

Fonte inesgotável de craques de futebol, o país ostenta o recorde de Copas América ganhas (16), duas Copas do Mundo (1930 e 1950) e duas medalhas olímpicas de ouro (1924 e 1928).

Seus jogadores popularizaram o mate no mundo, ao beberem essa infusão amarga típica nas concentrações dos campeonatos disputados pela “celeste”.

Entre seus escritores mais famosos estão os já falecidos Eduardo Galeano – ídolo da esquerda latino-americana -, Juan Carlos Onetti, e a poetisa Ida Vitale, prêmio Cervantes 2018.

Comentar no Facebook

Assine! Confira todos os descontos em assinaturas

10x R$ 49,90

10x R$ 49,90

8X R$ 12,25

8X R$ 10,75

4X R$ 12,00

8X R$ 13,00

8X R$ 13,00

8X R$ 13,00

5X R$ 11,20

8X R$ 13,00

As notícias da ISTOÉ no seu e-mail

Must Read

Marília Mendonça e Maiara e Maraisa estrelam campanha na Times Square

As patroas deslancharam para o mundo! Nesta quinta (21), Marília Mendonça e a dupla Maiara e Maraísa estamparam um telão na Times Square, principal...

Com propostas em mãos, ex-auxiliar do Real Madrid e ex-técnico do Flu está muito próximo de acertar com time brasileiro

O treinador fez grande trabalho no Palmeiras e chegou a ser auxiliar de Luxemburgo no Real Madrid De volta ao futebol brasileiro, o técnico Paulo Campos já...

Palas Pinho 20 anos de carreira no movimento brega

Palas Pinho uma das artistas mais respeitadas e querida do cenário musical Pernambucano, completa 20 anos de carreira no movimento brega, em 2001 ela implaca...

Secretaria do Trabalho estadual abre inscrições para Fenearte 2021

Quatro estandes serão disponibilizados para empreendimento solidários num dos espaços mais nobres da cultura pernambucana A Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco abre,...

Com propostas em mãos, ex-auxiliar do Real Madrid e ex-técnico do Flu está muito próximo de acertar com time brasileiro

O treinador fez grande trabalho no Palmeiras e chegou a ser auxiliar de Luxemburgo no Real Madrid De volta ao futebol brasileiro, o técnico Paulo Campos já...