Início Esporte Prefeitura de Brusque alerta para fake news que circulam nas redes sociais...

Prefeitura de Brusque alerta para fake news que circulam nas redes sociais sobre a dengue – O Munícipio

A Prefeitura de Brusque, por meio da Secretaria de Saúde, esclarece que os áudios que circulam nas redes sociais, com dados sobre os casos de dengue e da quantidade de focos do Aedes Aegypti são fake news e não condizem com a realidade do município. Prova disso é o último relatório da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE-SC) apontou que a cidade está com baixo risco de transmissão das doenças causadas pelo mosquito ? Dengue, Febre Chikungunya e o Zica Vírus.

O Secretário de Saúde, Humberto Martins Fornari, informa que assim como outras cidades da região, há sim focos do mosquito, e que também, registrou um caso da doença contraída dentro de Brusque, porém, o Programa de Combate a Endemias passou de 10, para 27 agentes que atuam em campo nos últimos três anos, o que, segundo ele, também fez aumentar a identificação precoce das larvas.

Quero tranquilizar a população, que estamos trabalhando, mesmo sabendo que há focos de larvas. Mesmo com um caso da doença, os áudios que circularam em grupos das redes sociais não condizem com a realidade, esclarece.

O Levantamento de Índice Rápido para Aedes Aegypti (LIRa), que foi realizado no mês de novembro nas cidades consideradas infestadas pelo mosquito, apontou que Brusque está inserida no grupo de cidades com baixo risco de transmissão da doença, com índice de 0,1. O Ministério da Saúde determina que essa pesquisa de campo seja realizada sempre nos meses de março e novembro. O resultado é o mesmo das duas últimas edições.

Em 2019, a Vigilância Epidemiológica identificou em junho, apenas um caso autóctone, que é quando o paciente contrai a doença dentro do próprio município. Outras doze ocorrências foram de pessoas que vieram ou estiveram em outras cidades.

Durante a última edição do LIRa foram vistoriados 1634 possíveis depósitos de larvas considerados móveis (como vasos, frascos, pratinhos, garrafas, etc.) e mais 1473 em locais como aglomerações de lixos, plásticos, entulhos, lonas, entre outros. Segundo a Coordenadora do Programa de Combate a Endemias, Letícia Figueiredo, o que se constata, é que os focos ainda estão em locais em que comunidade poderia evitar o acumulo de água parada.

A população precisa ficar atenta. Para acabar com a Dengue e outros doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti, precisamos focar na prevenção. Todos os dias, os Agentes de Endemias encontram novos pontos com água parada e isso precisamos eliminar, comenta.

O acumulado de janeiro a 25 de novembro é 487 focos do mosquito em Brusque. Vale salientar que esse dado serve apenas como estatística anual recomendada pelo Ministério da Saúde, pois quando um novo criadouro é descoberto, medidas sanitárias logo são tomadas e o local é eliminado.

Must Read

Durante encontro, João Campos e Danilo Cabral reforçam apoio a Hélio Guabiraba

O candidato a deputado estadual Hélio Guabiraba se reuniu mais uma vez com o prefeito do Recife, João Campos, e com o candidato a...

Festival terá shows de Luiza Sonza e Iza, no Recife

No dia 26 de novembro, na área externa do Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, vai rolar a primeira edição do La Folie...

Academia Recife oferece acompanhamento nutricional gratuito

Aliar um acompanhamento nutricional à prática frequente de exercícios físicos é fundamental para pessoas que buscam uma maior qualidade de vida. Quem mantém uma...

Série que marca estreia de Ludmilla na televisão ganha data de estreia

A plataforma de streaming Globoplay anunciou, na última quinta-feira (11), a data de início da segunda temporada de Arcanjo Renegado, série que marca a estreia...

Anne Heche morre aos 53 anos após acidente de carro

A atriz Anne Heche teve sua morte confirmada nesta sexta-feira (12), aos 53 anos. Ela estava em coma desde o último dia 5, após...