Pesquisa sobre gestão Caiado: população reconhece gravidade da crise

A gestão do governador Ronaldo Caiado, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Paraná, entre os dias 3 e 7 de outubro, e divulgada pelo site da revista “Veja”, é aprovada por 67,3% do entrevistados. No ano, é a segunda rodada da avaliação: em relação à primeira sondagem, divulgada em abril, Caiado conseguiu aumento de 7,4 %.

Conforme Itami Campos, pesquisador da política regional e professor universitário, os números revelam a manutenção da confiança do eleitorado que votou em Caiado. Para ele, o eleitor goiano é conservador e tende a manter a convicção. “A tendência é o eleitorado manter seu conservadorismo, que é uma tradição, certa característica regional muito expressiva”, analisa.

A subida da avaliação positiva de 59,9% para 67,3% no levantamento realizado em 60 cidades goianas pode tanto ter relação com a margem de erro quanto sintetizar uma melhora na imagem do governo após as primeiras medidas – caso dos anúncios referentes ao Detran, as operações contra corrupção e a aparente queda da criminalidade.

“O goiano está ciente de que o início de governo não foi fácil. Ele sabe das dificuldades. Acredito que o eleitor esteja paciente. E contribui para a boa avaliação a expectativa de melhoras”, avalia Itami.

ANÁLISE PADRÃO

Itami Campos prefere realizar uma avaliação padrão do comportamento do eleitor goiano. Para ele, Goiás apresenta “pequenos centros urbanos” onde a economia rural é muito forte. Portanto, além de cidades tradicionalmente rurais existem ainda aquelas com características urbanas, mas moldadas no pensamento da agropecuária. “Isso explica a baixa penetração do PT no interior goiano, por exemplo”.

A adesão aos primeiros meses do governo Caiado seria natural diante das dificuldades herdadas, mas Itami justifica o apoio do goiano ao governo Bolsonaro ( que tem apresentado queda em outros estados) como nítido resquício desse conservadorismo rural. A mesma pesquisa que avalia Caiado com 67,3% de aprovação também aponta Bolsonaro com 65%. Os números batem com os resultados das eleições de 2018 – naquela ‘pesquisa’ das urnas, Caiado teve 59,7 % dos votos e Bolsonaro 65,52%.

Jackeline Osório

O pesquisador Luiz Signates, professor da Universidade Federal de Goiás (UFG) e presidente do Instituto Signates, entende que é prematuro realizar constatação mais profunda sobre os números da análise do Instituto Paraná: “Precisaríamos ter outras pesquisas, feitas por outros institutos, para aferir essa do Instituto Paraná”.

Para o professor de comunicação, sob o ponto de vista da avaliação dos goianos, não existe também necessariamente uma correlação da gestão Caiado e Bolsonaro, apesar dos dois terem aproximação política. Questionado se uma queda da avaliação de Bolsonaro tende a prejudicar Caiado, ele diz que é possível, mas depende sempre do cenário: “Seria o lógico (a influência), apesar de não haver uma transmissão automática de popularidade de Bolsonaro para Caiado, ou vice-versa, pois os eleitores em geral separam os entes federativos. Aqui, em outros tempos, já tivemos Lula e Marconi se digladiando e, apesar disso, ambos bem avaliados pela população”.

Lehninger Thiago Mota, cientista social e político formado pela Universidade Federal de Goiás (UFG), acredita que a pesquisa está dentro do esperado, já que não ocorreu nenhum fato desabonador ou que prejudique a gestão: “A pesquisa revela dois aspectos interessantes a serem analisados. O primeiro é que parece que o atual governo conseguiu fazer comunicação eficiente ao evidenciar que a quebradeira do Estado era culpa das gestões passadas. Esse é um dos motivos para que à aprovação do governador seja maior que os votos obtidos na urna”.

O segundo ponto relevante, diz Lehninger Thiago Mota, é que a agenda da campanha de combate à corrupção e mais transparência “ainda é muito cara aos goianos e 63% dos entrevistados afirmaram que já houve ações efetivas do atual governo contra os crimes na administração pública e também ajuda a explicar o atual índice de aprovação do governador Ronaldo Caiado”.

DADOS

A avaliação do Instituto Paraná indica que o governo teve um incremento de opiniões positivas de ótimo e bom; juntas, elas saltaram de 36% para 43,2%.

Se somar com regular (que demonstra tanto a apatia quanto aprovação no limite básico), o que é questionável para obtenção de avaliação positiva, o salto atinge 81%.

A confiança ( que não significa aprovação) da população no governador Ronaldo Caiado é alta: aumentou de 67,3% para 71,1% na pesquisa que ouviu 1632 goianos.

Diário da Manhã © 1980 – 2019 Todos os direitos Reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Diário da Manhã. Desenvolvido por Datapage