Início Geral Lula responde declaração de Paulo Guedes sobre o AI-5

Lula responde declaração de Paulo Guedes sobre o AI-5

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO FLIPBOARD

Na noite de segunda-feira, em entrevista coletiva na embaixada do Brasil em Washington, Guedes disse que as pessoas não devem se assustar caso alguém peça um novo Ato Institucional número 5 –instrumento que marcou o endurecimento da ditadura militar no Brasil– diante da radicalização de possíveis protestos, ao mesmo tempo que também classificou a reedição da medida como “inconcebível”.

TRF-4 julga hoje recurso de Lula no caso do Sítio de Atibaia

PCC tinha esquema de RG falsos no Poupatempo de SP

Último desejo de idoso emociona neto nos EUA

Aluno é chamado de ‘macaco, gorila e veadinho’ em escola

TSE adia decisão capital para futuro de Bolsonaro

A fala do ministro gerou reações dos presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que criticaram a alusão feita por Guedes ao AI-5.

“Isso mostra a grosseria dessa gente. Essa gente tem que entender que a democracia não é um pacto de submissão, não é um pacto de silêncio”, disse Lula em entrevista ao site.

Editado em dezembro de 1968, o AI-5 fechou o Congresso Nacional e Assembleias Legislativas estaduais, eliminou garantias constitucionais individuais, como o habeas corpus, e permitiu a cassação de direitos políticos e de mandatos de quaisquer cidadãos.

Na reação a Guedes, que disse que os derrotados na eleição do ano passado devem ser responsáveis, respeitar a democracia e não convocar a população “para quebrar a rua”, Lula disse que jamais incitou quebra-quebra.

“Eu participo da política desde 1975 e vocês nunca me viram incitando quebra-quebra. Essa gente se ver o povo na rua fazendo procissão carregando vela vai dizer que a Igreja Católica está querendo botar fogo no país. O povo tem direito de se manifestar”, afirmou o petista.

Em discurso um dia após deixar a sede da Polícia Federal em Curitiba, onde ficou um ano e sete meses preso por causa de condenação por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá (SP), Lula afirmou que a eleição do ano passado, na qual Bolsonaro se elegeu, foi “roubada” do petista Fernando Haddad, mas também afirmou que Bolsonaro foi eleito democraticamente.

O ex-presidente também fez um apelo para que os militantes de esquerda compareçam às ruas para lutar contra o que chamou de destruição do país e afirmou que é preciso seguir o exemplo do que está acontecendo no Chile, onde têm ocorrido manifestações, muitas vezes violentas e também duramente reprimidas pelas forças de segurança, contra políticas do governo. 

Da REUTERS

Must Read

Convidado para início do Espanhol, Luva de Pedreiro é “apresentado” no Atlético de Madrid

Influenciador digital está em viagem à Europa e pagou de novo reforço dos Colchoneros, com direito a fotos nos vestiários e nas arquibancadas do...

Ato pela democracia recorda mortos na ditadura, pede respeito ao sistema eleitoral e leva multidão ao Centro de SP

Evento reuniu milhares dentro e fora da Faculdade de Direito da USP. No salão nobre, ex-ministro José Carlos Dias leu carta 'Em Defesa da...

Marília Arraes apresenta o “Maria da Penha nas Escolas” e medidas de combate à violência contra a mulher durante sabatina na Rádio Jornal

Durante uma sabatina realizada pela Rádio Jornal, na manhã desta quinta-feira, no Recife, a candidata ao Governo de Pernambuco Marília Arraes apresentou às mulheres...

Jarbas Filho intensifica agenda na região metropolitana do Recife

Político tem realizado diversas visitas em bairros da capital pernambucana. Por onde passa, o candidato a deputado estadual Jarbas Filho (PSB) tem sido muito bem...

Festa de Setembro movimentará cerca de R$ 15 milhões em Serra Talhada

Maior evento do calendário festivo de Serra Talhada, a Festa de Setembro 2022 já vem aquecendo o comércio e movimentando a economia da cidade,...