Início esporte Liminar garante a Lula continuar preso em Curitiba, decide juíza federal -...

Liminar garante a Lula continuar preso em Curitiba, decide juíza federal – Consultor Jurídico

Uma liminar do ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, garante ao ex-presidente Lula o direito de permanecer preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Lula rejeitou progressão de pena para o semiaberto e liminar do STF garante ao petista permanecer em CuritibaJosé Cruz / Agência Brasil

A decisão deve ser seguida até que seja concluído o julgamento do Habeas Corpus que trata da suspeição do ex-juiz Sergio Moro.

É como entendeu a juíza Carolina Moura Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, ao manter o ex-presidente recolhido em Curitiba.

A decisão é desta quarta-feira (30/10) e acolhe o pedido da defesa de Lula, feito pelos advogados Cristiano Zanin e Valeska Teixeira. Na petição, eles negaram mais uma vez a concessão da progressão de regime para o semiaberto ? benefício do qual o petista já pode usufruir.

Lebbos considerou que foram preenchidos os requisitos legais para a progressão, mas entendeu que seria inviável adotar as medidas “sob pena de afronta à determinação da Corte Superior”.

A magistrada determinou ainda expedição de ofício a Fachin, informando que mantém Lula na PF até que haja deliberação do STF.

Lebbos afirmou ainda que a progressão “não é uma faculdade do condenado, mas uma imposição legal, própria do sistema progressivo de penas adotado na legislação nacional”. Para a magistrada, não é previsto em lei rejeitar o benefício.

Conforme mostrou reportagem da ConJur, existe um impasse interpretativo sobre a progressão de pena: não se sabe se o sentenciado pode rejeitar a progressão da pena para um regime menos rigoroso.

De acordo com a juíza, cumprir a pena “não traduz negócio jurídico entre o Estado e o apenado”. “Trata-se de sujeição a um regime jurídico próprio, decorrente da imposição da sanção penal, como resultado da prática de um ato ilícito, previsto em lei penal e como tal reconhecido pelos órgãos jurisdicionais competentes após o devido processo legal”, afirmou. 

A magistrada considerou que, no caso, não foram apontadas razões fáticas ou jurídicas que sejam relevantes para sustentar a recusa da progressão. Para ela, “os motivos invocados constituem, no estágio atual da ação penal que ensejou a execução penal, mero inconformismo com o reconhecimento da prática do ato ilícito penal e com a pena aplicada”.

Clique aqui para ler a decisãoAP 5014411-33.2018.4.04.7000PET 8.312

Must Read

SBT revive símbolo da seleção brasileira

Hoje, o SBT iniciará a transmissão da Copa América com o retorno do histórico mascote Amarelinho torcendo pela Seleção Brasileira de Futebol. Totalmente repaginado,...

Ministro do turismo lamenta morte de Marco Maciel

Nota de pesar  Pernambuco e o Brasil perdem uma referência de homem público. Plural, íntegro, dedicado exclusivamente à coisa pública. Marco Maciel tinha um profundo...

Natálio Arruda lidera grupo em encontro com Rodrigo Novaes, Secretário Estadual de Turismo de Pernambuco

Sob liderança de Natálio Arruda, diretor municipal de Turismo de Santa Cruz do Capibaribe, um grupo de coordenadores e gestores municipais de Turismo, estiveram...

PREFEITURA GARANTE VIATURA PARA TORITAMA ATRAVÉS DO CONSEG-PE

A cidade de Toritama recebeu uma nova viatura da Polícia Militar na manhã desta sexta-feira (11/06) e ampliou a frota de veículos disponíveis para...

“Quando se trata de futuro é necessário ser ousado e partir na frente”, diz Marco Aurélio Filho sobre mudanças na previdência do Recife

O parlamentar esclarece a necessidade de adequação no sistema previdenciário municipal para o recebimento de recursos federais. O vereador do Recife, Marco Aurélio Filho (PRTB),...