Início pernambuco Chikungunya: Salgueiro e Petrolina entre 10 cidades do País com mais casos;...

Chikungunya: Salgueiro e Petrolina entre 10 cidades do País com mais casos; uma morte foi notificada

Salgueiro e Petrolina, no Sertão de Pernambuco, estão entre as 10 cidades do Brasil com mais registros de casos prováveis de chikungunya em 2022, segundo dados do Ministério da Saúde. Até a semana epidemiológica 17, encerrada em 30 de abril, Salgueiro tem 2.164 casos da arbovirose, ocupando, portanto, a quarta colocação nacional. Petrolina aparece em sétimo, com 1.555 casos.

Em Petrolina, a Secretaria de Saúde confirmou um óbito em decorrência da doença pelo critério clínico-epidemiológico. De acordo com a pasta, a morte foi de uma idosa de 86 anos, sem histórico de comorbidades, que ocorreu em 6 de abril e foi notificada na última sexta-feira (6). 

Com sintomas característicos de chikungunya, a idosa não procurou atendimento hospitalar e, por isso, não houve testagem laboratorial antes da morte. Após o óbito, a irmã da idosa, que mora na mesma casa, foi testada e o resultado foi positivo para a arbovirose. 

O balanço da SES-PE indica que, até o momento, não há registro confirmado de morte por arboviroses em Pernambuco em 2022. Ao todo, 16 casos foram notificados como suspeitos. Nenhum foi descartado. Em 2021, no mesmo período, foram 12 notificações suspeitas, sendo três confirmadas nove descartadas.

Os dados da SES-PE ainda não incluem a SE 17, quando foi notificada a morte da idosa de 82 anos em Petrolina.

“É importante ressaltar que o diagnóstico laboratorial positivo dos óbitos, para qualquer uma das arboviroses, não necessariamente confirma esta arbovirose como causa do óbito. Esta avaliação, para descarte ou confirmação, depende de minuciosa investigação domiciliar e hospitalar do óbito e da discussão de cada caso no Comitê Estadual de Discussão de Óbitos por Dengue e outras Arboviroses”, ressalta a SES-PE.

Secretaria de Saúde de Petrolina orienta a população a manter os cuidados para evitar água parada. “O trabalho dos agentes de endemias continua sendo de orientação e controle de focos no tratamento larval e bloqueio de transmissão com inseticida”, destaca a secretaria. 

Dados
As três primeiras colocadas no ranking nacional de casos são do Ceará: Juazeiro do Norte (3.926 casos), Fortaleza (2.362 casos) e Crato (2.243 casos). Das 10 primeiras, oito são do Nordeste.

Entre a semana epidemiológica 16, que acabou no dia 23 de abril, e a 17, Salgueiro notificou 281 casos – eram 1.883. Já em Petrolina o aumento foi de 644 casos – passou de 911 para 1.555.- PUBLICIDADE –

Em relação a Pernambuco, os dados mais recentes da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) ainda não incluem a semana 17 e seguem até a semana 16.

De acordo com a SES-PE, foram notificados por 129 municípios um total de 7.642 casos – sendo 1.210 confirmados e 1.152 já descartados. 

No mesmo período de 2021, foram 4.651 casos suspeitos, o que representa, portanto, um aumento de 64,3% este ano. 

As 10 cidades do Brasil com mais casos de chikungunya até 30 de abril de 2022
1. Juazeiro do Norte (CE) – 3.926
2. Fortaleza (CE) – 2.362
3. Crato (CE) – 2.243
4. Salgueiro (PE) – 2.164
5. Brumado (BA) – 1.789
6. Barbalha (CE) – 1.678
7. Petrolina (PE) – 1.555
8. Macarani (BA) – 1.065
9. Montes Claros (MG) – 1.063
10. Luziânia (GO) – 1.045

Chikungunya
Arbovirose transmitida pela picada de fêmeas infectadas do mosquito do gênero Aedes, a chikungunya costuma evoluir em três fases. Na primeira, chamada de febril ou aguda, o quadro costuma durar de cinco a 14 dias. A fase pós-aguda pode decorrer ao longo de três meses. Já a crônica é considerada quando os sintomas persistirem por mais de três meses após o início da doença. 

Em mais da metade dos casos, segundo o Ministério da Saúde, as dores nas articulações tornam-se crônicas, podendo persistir por anos.

Os sintomas clínicos da doença são febre, dores intensas nas articulações, dor nas costas, dores pelo corpo, erupção avermelhada na pele, dor de cabeça, náuseas e vômitos, dor retro-ocular, dor de garganta e calafrios. Há também o registro de diarreia e/ou dores abdominais – as manifestações do trato gastrointestinal são mais presentes em crianças. 

O tratamento da chikungunya é feito de acordo com os sintomas. Até o momento, não há tratamento antiviral específico. A terapia utilizada é analgesia e suporte.

Dengue e zika
Pernambuco também observa aumento nos casos de dengue, de acordo com a SES-PE.

No caso da dengue, 166 cidades pernambucanas notificaram até o fim de abril um total de 13.469 casos suspeitos – dos quais 921 foram confirmados e 3.072, descartados. 

O total representa um aumento de 32,6% em relação ao mesmo período de 2021, quando foram registrados 4.651 casos suspeitos.

Em relação à zika, foram 569 casos notificados oriundos de 48 cidades. Em 2021, no mesmo período, foram 962 – logo, houve uma redução de 40,8%.

Must Read

Menina de 11 anos grávida após ser estuprada consegue fazer aborto legal

A menina de 11 anos, que teve o direito ao aborto legal negado em Santa Catarina, conseguiu realizar o procedimento nesta quarta-feira...

Guito lembra 1° encontro com Almir Sater: “Vinte minutos sem falar”

Guito, ator de Pantanal, participou do programa Encontro com Fátima Bernardes nesta quinta-feira (23/6) e comentou a relação com Almir Sater, de quem é fã....

Milton Ribeiro e pastores passam por audiência de custódia nesta 5ª

Os presos durante a Operação Acesso Pago, da Polícia Federal, passarão por audiência de custódia nesta quinta-feira (23/6). O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, de São...

Pai de Anitta é internado novamente por causa de Covid-19 após câncer e AVC

O pai de Anitta, Mauro Machado, está internado novamente após testar positivo para Covid-19. O empresário voltou ao hospital, dias depois de ter tido alta devido...

Mônica Martelli é internada em Porto Alegre

Mônica Martelli foi internada na Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre após se apresentar na cidade, no último sábado (18/6). A informação foi...